Órgãos da área da Saúde em Minas avançam no ranking da excelência

Com o objetivo de servir sempre de melhor forma à população, órgãos que compõem o Sistema Estadual de Saúde investem em pesquisa e abrem novas fronteiras em benefício da saúde em suas áreas de domínio. Com resultados reconhecidos nacional e internacionalmente, constituem motivo de justo orgulho para a SES-MG e toda Minas.  

Coleta, distribuição e pesquisa compõem o trabalho da Hemominas (Foto Hemominas)

Hemominas – Todos sabem que a Fundação Hemominas trabalha com coleta e disponibilização de sangue humano. O que nem todos sabem é que a Fundação atua também com pesquisas científicas. “As pesquisas trazem novos conhecimentos que ajudam a entender as doenças e também resultam na melhoria de processos, atendimento e diagnóstico clínico e laboratorial de pacientes e doadores”, explica Marina Lobato Martins, gerente de Desenvolvimento Técnico-Científico. Concentradas nas áreas de Hematologia e Hemoterapia, as pesquisas focam temas como variantes raras de sangue, doença falciforme, tecidos biológicos, células-tronco e outros. Seu trabalho é desenvolvido com o apoio de convênios com hospitais, parcerias com universidades e centros de pesquisa, convênios de financiamento com agências nacionais e estrangeiras e plena participação de voluntários.

 

Grau de excelência na Fhemig é obtido pela terceira vez consecutiva (Foto Fhemig)

Funed – Em 2017, os laboratórios da Divisão de Epidemiologia e Controle de Doenças (DECD), vinculados ao Instituto Otávio Magalhães (IOM), Laboratório Central de Saúde Pública de Minas Gerais (LACEN-MG), da Fundação Ezequiel Dias (Funed), receberam, pelo terceiro ano consecutivo, avaliação Excelente. A avaliação é realizada anualmente pelo Programa Nacional de Controle de Qualidade (PNCQ), patrocinado pela Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (SBAC). “O controle externo da qualidade destaca-se pelo desafio constante das equipes em alcançar resultados de qualidade e oferecer serviço público de excelência”, detalha Marluce Aparecida Assunção Oliveira, diretora do IOM. Para Chequer Buffe Chamone, chefe da Divisão de Epidemiologia e Controle de Doenças, “isso assegura resultados confiáveis, com excelente qualidade, muita segurança e eficácia nos exames procedentes das Vigilâncias em Saúde de nosso Estado”.

 

Ouvidorias – Em 2017, as Ouvidorias do SUS de Minas Gerais ampliaram seu alcance e passaram por um processo de integração. Além da Ouvidoria Central do SUS, diretamente ligada à Ouvidoria Geral do Estado (OGE), foram implantadas ouvidorias nas 28 Regionais de Saúde do Estado de Minas Gerais e nas instituições vinculadas no Sistema Estadual de Saúde, que são a Hemominas, Funed, Fhemig e ESP-MG. Existem ainda outras 68 ouvidorias municipais. Ao todo, são 120 ouvidorias compondo atualmente o novo Sistema Estadual de Ouvidorias do SUS de Minas Gerias (SEOS). Por meio das ouvidorias a população pode registrar suas manifestações a respeito dos serviços ofertados pelo SUS: solicitações, reclamações, sugestões, elogios, agradecimentos. Basta entrar no site www.ouvidoriageral.mg.gov.br ou ligar para o telefone 136, número válido para todo o Estado. As ouvidorias são mais um instrumento a serviço do fortalecimento do SUS em Minas.