Nota

Foi publicada em veículo da imprensa mineira matéria noticiando que a Executiva do MDB de Minas decidiria hoje, 26/01, se me expulsaria da legenda. Ocorreu que a maioria da Executiva, estupefata com a matéria, optou por não comparecer à reunião, que acabou não se realizando por falta de quórum. Nosso entendimento foi que os argumentos usados no requerimento pedindo minha expulsão não têm qualquer fundamento. Isso porque todo o meu comportamento tem sido pautado pelas decisões do Partido para as eleições de 2014.

A Convenção do MDB em Minas em 2014 decidiu que disputaríamos o Senado com Josué Alencar e o Governo do Estado com a chapa Fernando Pimentel / Antônio Andrade. Não ganhamos o Senado, mas ganhamos o Governo do Estado. Portanto, quem está contra o Governo do Estado, eleito também pelo MDB, é que está afrontando decisão partidária em sua maior instância – a Convenção estadual.

Acredito que a iniciativa desse requerimento atinge muito mais o Partido e sua história que a mim. O MDB, que conquistou as liberdades democráticas, contribuiu para o restabelecimento do Estado de Direito e lutou pelo fim da censura, estaria se contradizendo se apelasse para a imposição interna de censura e para o julgamento de que opinião é delito e delito passível de expulsão.

Tenho quase duas décadas de trabalho na construção do Partido em Minas e na preservação de seus valores fundacionais. Não permitir que graves desvios como esse prosperem é imperativo para a atuação de todo emedebista digno desse nome. É com esses que me sinto fortemente aliado. E esses não são poucos. No decorrer desse dia, recebi a solidariedade de quase todos os parlamentares, da grande maioria da Executiva, de vários prefeitos e de inúmeros filiados em todo o Estado. Motivo de grande alegria e de novo vigor para seguir em frente.